Feira de Saberes Femininos promove cultura de paz

O Conselho Municipal da Cultura de Paz de Campinas organizará, no domingo, dia 10 de março, a primeira Feira de Saberes Femininos. O evento ocorrerá na Estação Cultura das 10h às 17h. Acesse a página do evento.


O objetivo é unir mulheres voluntárias que propõem compartilhar seus saberes com outras mulheres e, de alguma maneira, melhorar conceitos e ações nas suas vidas, concriando novas realidades.

O projeto prevê ações regulares durante o ano de 2019 em diversos territórios da cidade, onde serão construídas novas dinâmicas com grupos de mulheres de todas as idades e condições socioculturais.

Segundo o manifesto do evento: “Mulheres, quando cuidam de outras mulheres, fortalecem a construção e o futuro da raça humana. Sendo ela mãe, é também a primeira educadora e a base do fortalecimento emocional e de vínculos das futuras gerações. Portanto, fortalecer os laços femininos através da doação de saberes, é entender na prática os conceitos de Cultura de Paz e Cooperação. Entendemos que uma corrente se torna forte quando todos os elos estão fortalecidos, eu sou a outra e a outra sou eu!”

Mais informações e adesões podem ser feitas pelo correio eletrônico: semeadorasdapaz@gmail.com ou pelo telefone do COMPAZ – (19) 3254-6324 com Enedy.

Confira a programação da Feira de Saberes Femininos

Neste domingo, 10 de março, o Conselho Municipal da Cultura de Paz de Campinas organiza a feira de Saberes Femininos na Estação Cultura, das 10h às 17h. Confira a programação:

Local: Plataforma
10h às 16h30

Recepção COMPAZ – Acolhimento e ponto de Referência
GRIOTS – Apresentação da ONG e Contação de Histórias
CEAMO – Orientação e Acolhimento sobre Violência Doméstica
OAB Comissão da Mulher – Orientação Jurídica
Recreação – Brinquedos e Guloseimas para as Crianças

10h às 16h30
Amor em Movimento com a Maratona do Abraço (Free Hugs)

10h30 às 13h
Oficina Eco Brinquedo
Formadora: Zamira Meyer

10h30 às 11h
Ginastica Liang Gong
Formadora: Gláucia Sandoval

10h30 às 16h30
Oficina de Artesanato com Jornal (técnica do canudinho)
Formadora: Olga Oliveira

Local: PALCO
10h às 10h30
Abertura Oficial da Feira de Saberes Femininos

10h30 às 11h
Dança Circular
Formadora: Eugênia Pereira

11h às 12h
Mulheres Griotes e seus Saberes entoados no Samba de Bumbo Campineiro
Formadora: Nil Sena

12h às 14h
Atividades Culturais e apresentações
Apresentação Umaduas, dança com a Mirza Ferreira e Talita Terra;
Dança da Eshiley Haughton;
Musical da Jessi;
Caixeiras Nascentes.

14h às 15h30
Roda de Conversa sobre mulheres refugiadas
Formadora: Caroline Silva

15h30 às 16h30
YOGA
Formadora: Haimavati Nakai

16h30 às 17h
Dança Circular – Encerramento da Feira de Saberes Femininos

Local: Sala 01
10h30
às 16h30
Flor e Ser (Terapias Holísticas)
Formadora: Andréia Namiuti

Local: Biblioteca
10h30 às 16h30
Poesia e Literatura

Local: Sala 02
10h30 às 11h30
Meditação
Formadora: Andréia Namiuti

11h30 às 12h30
Resgate do Self Feminino
Formadora: Carolina Franco

12h30 às 14h
Intervalo do Almoço

14h às 15h30
Conversa sobre Relacionamentos Abusivos
Formadora: Patrícia Filizola

15h30 às 16h30
YOGA Materno
Formadora: Paula Ubinha

Local: Sala 03
10h30 às 16h30
Escutatória
Formadora: Cleia Bernardo

Local: Sala 04
10h30 às 12h30
Sagrado Feminino
Formadora: Francine Fernandes e Ligia Fernandes

12h30 às 14h
Intervalo do Almoço

14h às 15h30
Constelações Sistêmicas
Formadora: Elizabeth de Farias

15h30 às 16h30
Parto Humanizado
Formadora: Thaís Costa

Local: Sala 05
10h30 às 11h30
Empoderamento Feminino Na Educação
Formadora: Marila Moura

11h30 às 12h30
Floral de Bach
Formadora: Silvia Lá Mon

12h30 às 14h
Intervalo do Almoço

14h às 16h
Empreendedorismo Feminino
Formadora: Surya Guimaraens
Auditório Térreo

10h30 às 11h30
A Mulher pela Filosofia Chinesa
Formadora: Juliana Lotumolo

11h30 às 12h30
Óleos Essenciais
Formadora: Myriam Amaral

12h30 às 14h
Intervalo do Almoço

14h às 15h30
Tributo à Vida que Encanta
Formadora Mari Alexandre

15h30 às 16h30
Tempo Para Mim – Saúde e Bem estar no Ciclo Menstrual pela Ayuveda (farmácia caseira)
Formadora: Andréia Namiuti

Local: Sala 06
10h30 às 11h30
Você e o seu Amor… por você
Formadora: Ronaly Moreno

11h30 as 12h30
Automaquiagem

12h30 às 12h50
Apresentação do Coral do Sindicado dos Professores

12h50 às 14h
Intervalo do Almoço

14h às 15h
Você e o seu Amor…por você
Formadora: Ronaly Moreno

15h às 16h30
Automaquiagem

Fórum Campinas pela Paz tem início com palestra de Arun Gandhi

Publicada em 23/02/2018
Fonte: Prefeitura de Campinas

O Fórum Campinas pela Paz foi aberto oficialmente pelo prefeito de Campinas, Jonas Donizette, na manhã desta sexta-feira, 23 de fevereiro, com apresentação da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas (OSMC) e a palestra magna do ativista pela paz, Arun Gandhi, neto de Mahatma Gandhi, no Teatro Municipal José de Castro Mendes.

O evento, que acontece nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro, foi organizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos. Esta é a primeira vez que um evento desta importância, traduzido em Libras, é realizado pelo poder público.

“Agradeço a todos que se envolveram. Também tivemos muitos voluntários. Para nós é muito importante a presença do Arun Gandhi, que vai fazer brilhar o olhar de muita gente na nossa cidade, porque nos mostra que devemos ter esperança. Geralmente somos muito imediatistas. Fui questionado sobre o que seria feito na prática em relação à cultura de paz. Mas o importante é o que cada um de nós vai fazer para se envolver, para multiplicar a paz. Temos de compartilhar esse sentimento, isso não termina aqui”, disse o prefeito Jonas Donizette.

Também participaram da abertura o vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira, a primeira-dama Sandra Ciocci, a secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Eliane Jocelaine Pereira, secretários, vereadores, representantes da sociedade civil, entidades assistenciais, entre outros.

O Transforma Campinas participou da abertura do Fórum por meio da entidade Centro de Educação Especial Síndrome de Down (CEESD), que trouxe voluntários que auxiliaram na recepção do evento

Orquestra Sinfônica
A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, sob regência do maestro Victor Hugo Toro, apresentou as obras “Canção da Paz”, de Cesar Elbert; “Danse Piemontese”, de Leone Sinigaglia; “La Palomita”, de Jorge Peña Hen; “Adágio para Cordas”, de Samuel Barber; “Agnus Dei”, da “Missa para Tempos Sombrios”, de Joseph Haydn; e “Nabucco, Va Pensiero”, de Giuseppe Verdi, com a participação dos corais “Coro do Grupo Primavera” e do “Coro Contemporâneo de Campinas”.

E nas vozes dos atores convidados Sergio Lelys e Patricia Naves, foram ouvidas narrações de textos de Pablo Neruda, Mahatma Gandhi e Castro Alves, artistas e ativistas que também tiveram papel fundamental na história dos direitos humanos e da liberdade. O ator Lázaro Ramos, que participará do Fórum neste sábado, narrou um texto de Martin Luther King com o discurso “Eu Tenho Um Sonho”, ícone da luta pelos direitos civis.

Arun Gandhi
Após a apresentação da Orquestra Sinfônica, Arun Gandhi fez a palestra e abriu o espaço para perguntas.

“É uma honra estar aqui. Estou sem palavras para expressar minha gratidão. Esta cidade é linda e as pessoas são maravilhosas. Quero compartilhar uma experiência que tive quando criança e morava na África do Sul. Eu sofria porque os brancos me consideravam negro e os negros achavam que era branco. Tinha muita raiva e queria brigar. Voltamos para a Índia e lá aprendi muito com meu avô (Mahatma Gandhi). Ele me ensinou que precisamos aprender a saber usar a raiva, que é como eletricidade”, contou Arun Gandhi.

Ele complementou que ao saber usar a raiva, a intenção é descobrir como lidar com os problemas e para isso precisamos exercitar a mente. Arun Gandhi também afirmou que estamos todos conectados e o que acontece com uma pessoa ou um país afeta a todos de alguma forma. “Precisamos nos tornar a mudança que queremos ver no mundo”, enfatizou.

A secretaria municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Eliane Jocelaine Pereira, disse que este Fórum não é apenas um evento, é um conceito, um movimento de toda nossa sociedade. “Temos a responsabilidade de construir juntos um caminho mais pacífico. As pessoas almejam a paz, mas esperam que a paz venha de algum lugar e ela precisa vir de nós mesmos. Precisamos construir essa pavimentação, para que a paz caminhe sobre ela e é isso que queremos com o Fórum de Cultura de Paz”.

O Fórum Campinas pela Paz, que continua neste sábado e domingo, 25 e 25 de fevereiro, é mais um passo para promover um movimento de mudança, gerando um caminho para que Campinas seja protagonista na cultura de paz e sirva de exemplo para o país.

Neto de Gandhi prestigia posse do Conselho Municipal de Cultura de Paz

Fonte: Prefeitura de Campinas

Publicado em 22/02/2018

O prefeito Jonas Donizette deu posse aos membros do Conselho Municipal da Cultura de Paz de Campinas na tarde desta quinta-feira, 22 de fevereiro. A cerimônia contou com a participação do ativista pela paz Arun Gandhi, neto de Mahatma Gandhi; do vice-prefeito, Henrique Magalhães Teixeira; da primeira-dama, Sandra Ciocci e demais autoridades.

“O Conselho é um dos primeiros com esse tema no País e coloca Campinas como protagonista da Cultura de Paz no Brasil”, afirmou Eliane Jocelaine Pereira, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos.

O conselho foi criado em dezembro do ano passado, pela lei nº 15.543, de autoria do Executivo. É formado por pessoas de todos os setores da sociedade. Possui 24 membros titulares, sendo 12 indicados pelo poder público e 12 eleitos pela sociedade civil. Também possui 24 suplentes. O mandato é de dois anos, prorrogáveis por mais dois.

“O Conselho não vai falar somente de segurança pública. Ele vai ser um canal aberto de diálogo para que a sociedade possa influenciar nas políticas públicas da cidade que envolvam a questão de paz. Por isso é bipartite com participação da sociedade e do poder público com o envolvimento de mais de dez secretarias de várias áreas da Prefeitura”, explicou o Prefeito.

Para Jonas Donizette, esse conselho envolve a questão comportamental das pessoas; “de como podemos agir para que todos tenhamos o espírito ou uma postura voltada para uma relação mais harmoniosa no dia a dia”.

“A paz não é a ausência da violência. A paz é uma construção entre as pessoas. O sentimento de empatia com as pessoas é muito importante. Que a experiência de vocês, conselheiros, seja útil para a cidade de Campinas na questão da paz”, destacou o prefeito.

Também presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Jonas Donizette, disse que a entidade deve entregar em maio um documento para os candidatos à Presidência com os problemas que atingem o País, com ênfase em três deles: “vamos pedir atenção especial para saúde, emprego e segurança pública. A segurança pública figura como uma das principais preocupações da população”, disse.

Neto de Gandhi
A posse do conselho está vinculada ao Fórum Internacional ‘Campinas pela Paz’. Arun vai fazer a palestra magna na abertura do evento, no dia 23, no Teatro Castro Mendes, em um evento restrito a educadores que acontece nesta sexta-feira, 23 de fevereiro e vai até domingo, 25 de fevereiro.

O ativista prestigiou a posse do Conselho e disse estar muito feliz em contribuir para a criação da cultura de paz em Campinas.

Arun falou na construção de um mundo em que a paz seja vivenciada por todos. “A paz não é ausência da violência. A paz só acontece quando nós temos harmonia”. Ele disse que é preciso “criar harmonia na sociedade e criar oportunidades para a paz”.

Atuação
Conselho Municipal da Cultura de Paz de Campinas é ligado à Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos. Vai envolver todos os setores, mas terá uma forte atuação na educação, para estimular ações educativas permanentes pela cultura de paz. Vai promover ações que estimulem o engajamento das pessoas na mudança de comportamento para a produção da cultura de paz.

Ações a serem desenvolvidas: inserir os princípios da cultura de paz nas políticas públicas; mobilizar a sociedade na busca da cultura de paz e sensibilizar e conscientizar a população para a importância do tema na construção da cidadania; iniciar um movimento entre poder público e sociedade civil para estimular ações de respeito, de tolerância e solidariedade entre as pessoas; estabelecer movimento de relações fraternas nas escolas, nos centros de saúde, em núcleos de cultura de paz em toda cidade para que cada grupo, cada pessoa reconheça e desempenhe o seu papel; incentivar a criação de programas e projetos contra todas as formas de discriminação e intolerância, seja de raça, cor, sexo, religião, condição social, opinião política ou de outra natureza.

Projeto de criação do Conselho de Cultura de Paz é assinado em Campinas

Notícia publicada em 21/06/2017
Fonte: Prefeitura de Campinas

O prefeito Jonas Donizette assinou nesta quarta-feira, dia 21, o projeto de lei que cria o Conselho Municipal de Cultura de Paz, órgão cuja proposta é incluir os princípios da cultura de paz nas políticas públicas, além de sensibilizar e conscientizar a população para a importância do tema na construção da cidadania. O Conselho estará subordinado à Secretaria Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Cidadania. O projeto segue agora para deliberação da Câmara Municipal.

Em seu discurso, o prefeito afirmou que a construção de uma sociedade pacífica é um trabalho conjunto de toda a sociedade, e a assinatura do projeto de lei de criação do Conselho de Paz é muito importante para Campinas. “Estou há muito tempo na função de prefeito e já entreguei centros de saúde, como o do Parque Oziel, uma das regiões mais carentes da cidade; entreguei escolas, grandes, completas; obras viárias, asfaltamento de bairros e implantações de redes de esgoto. Mas, sem dúvida, hoje é o dia mais importante do meu mandato. Não estou entregando nenhuma obra de areia, de pedra, mas uma construção no coração e na mente das pessoas”, destacou.

A rede de ensino será um dos focos do projeto de lei, informou o prefeito. Segundo ele, o Conselho terá uma forte atuação na área da educação, uma vez que as crianças têm um poder muito grande de influenciar mudanças dentro de sua casa e da sociedade, impulsionando a cultura de paz. Jonas Donizette disse que ao considerarmos a história do mundo, veremos que houve fases muitos mais cruéis do que a que vivemos hoje, pois o ser humano caminha para um lado melhor e é possível fazer mais por essa mudança. O prefeito também convocou os presentes para incitarem a participação de suas comunidades para melhorar a cidade e, por consequência, o Estado e a nação onde vivemos: “as pessoas precisam se sentir parte da solução”.

A secretária Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Cidadania, Eliane Jocelaine Pereira, abriu o evento, apresentando as várias políticas públicas que o município já implementou na direção da paz, como a criação do Centro de Referência em Direitos Humanos na Prevenção e Combate ao Racismo e Discriminação Religiosa, o projeto Transforma Campinas e programas voltados para pessoas com deficiência, para os jovens e a população em situação de rua.

Eliane lembrou que a assinatura do projeto de lei faz parte do movimento Campinas pela Paz, que promove uma aliança entre o poder público e a sociedade civil para conscientizar, mobilizar e informar as pessoas para uma cultura de paz. “Essa temática é muito importante, necessária e urgente, e precisamos do envolvimento de toda a sociedade. Campinas, a cidade das andorinhas, não pode ter uma só andorinha caminhando pela paz, e esse Conselho é o primeiro passo para instituir ações lineares em prol dessa cultura em nosso município”, afirmou.

A composição da mesa incluiu, além do prefeito Jonas Donizette e da secretária Eliane Jocelaine, o vereador Jorge da Farmácia e o diretor de Relações Institucionais da EPTV, Paulo Brasileiro. A sala lotada reuniu líderes religiosos de diversas denominações, de entidades assistenciais como a Fundação FEAC, membros de diversas secretarias da Prefeitura, representantes da Câmara Municipal, Ministério Público do Trabalho da 15ª Região, Movimento de Mulheres, representantes de Conselhos, instituições bancárias e da imprensa campineira.

Sobre o Conselho
O Conselho incentivará programas, projetos e ações voltados à erradicação da intolerância e discriminação. Seu papel também será o de estimular e fomentar ações e projetos relacionados à cultura de paz no município. Por meio do órgão, serão apoiados projetos e ações comunitárias nas diferentes regiões da cidade e será estimulada a participação da sociedade civil, poder público e da iniciativa privada.

Estará sob responsabilidade do Conselho a organização de uma Conferência Municipal da Cultura de Paz, a ser realizada a cada dois anos. Na área do ensino, por sua vez, o papel do Conselho será o de estimular a criação de metodologias para uma educação permanente pela cultura de paz.

O órgão será composto por 24 membros titulares, do poder público e da sociedade civil, sendo 12 representantes de cada secretaria municipal e quatro representantes religiosos; seis representantes de movimentos sociais e ONGs; e dois representantes de universidades. O mandato será de dois anos, prorrogáveis por mais dois.